segunda-feira, 23 de março de 2009

Os desejos humanos e a humanização da figura divina

Eu adoro ler coisas assim e assim ainda mais que elas vem acompanhadas um bombardeio de " eu-acho-quês " que irritam profundamente o meu ser. Fora que alguns ainda trazem junto uma procuração que só os 'inteligentes podem ver' (episódio do Chapolin, n° 555555555559) pra falar em nome do nosso senhor Jesus Cristinho (meu, ao menos).
Se as pessoas desmaterializassem o deus, e parassem com essa história de enchergar ele como uma pessoa de carne e osso, quem sabe houvesse menos tragédias e menos fome, mais solidariedade e menos 'lavar as mãos'.

"Deus castiga!" ou "Ele tá vendo isso!"
Ele não vai castigar, não vai ver..ELE não existe assim, não tem olhos e muito menos a porcaria de uma foice decaptadora.

Realmente, cada um carrega dentro de si o Deus que merece.

O que a gente diz que deus faria, é oque NÓS faríamos se tivéssemos o 'poder' dele. Viu como a natureza é sábia? Por isso que as vacas não voam...

Não queria usar a palavra procriação, reprodução, porque parecem ofensivas e científicas demais. Mas o desejo de gerar um filho é universal e independe de gênero ou vontade sexual. É humano e pronto. Tá ali, faz parte do conjunto genético que vem no pacote quando nascemos. Embora algumas pessoas optem por abrir não desse DIREITO FUNDAMENTAL E ASSISTIDO que é gerar uma criança, as normais conseguem entender perfeitamente esse lance pra lá de sobrenatural que deve ser ter um bichinho crescendo e sugando os nutrientes dentro da barriga.

Então se a criatura é transexual, pansexual, ortosexual, metrosexual ( by Marcos ), ou ESTRANHOsexual... azar é o dele. O problema é dele... ou melhor, a sorte é dele, a escolha é dele, a vida é dele e as contas! ah, as contas!!!

Também são dele! -pasmem-

Até aquela retardada que teve não sei quantos filhos de inseminação e vive as custas do governo americano teve esse direito respeitado. Isso sim pra mim é pura sacanagem com as coitadinhas das kids que ainda nem saíram todas do hospital.

continua...

4 comentários:

Gô! disse...

hehehehehe

eu só não entendi uma (ou duas) coisas.

eu nasço mulher.

não me sinto mulher, então resolvo ser homem.

daí, chega uma hora, que eu tenho vontade de gerar um filho, mesmo não sendo mulher, porque decidi que não sou mulher.

isso quer dizer que estava errada na escolha de ser homem, o que eu queria era ser uma coisa que é tanto homem quanto mulher.

Sendo assim, eu posso ter um pau, e continuar com minha vagina, proque eu uso o que eu quiser, quando eu quiser.


A outra coisa que eu não entendi é como o espanhol era namorado de uma mulher se ele ainda não tinha feito cirurgia. Quer dizer que a namorada dele era lesbica?

Bom, todo mundo tem direito de qualquer coisa e mais, cada um é cada um. Portanto, eu tenho todo o direito de não ter entendido lhufas dessa história que pra mim é sem pé nem cabeça.

Gô! disse...

heheheh. Claro que não vou apagar seu comentário. Eu acho que esse tipo de discução só enriquece.

Porque eu não tinha (realmente) pensado que o homem poderia querer usar o "saquinho" de guardar filho só pela conveniência da coisa HUAHAUAHUAHAUAH
(supondo que exista aí alguma conveniência, né!?)

Eu também acho que o mundo é tão imenso que cabe nele todo tipo de gente. E isso não falando apenas em termos de sexualidade. Afinal, tem um monte de gente que gosta, por exemplo, de star wars, mesmo eu achando uma idiotice =P

Beijão


=D

Luana disse...

Me divirto lendo teu blog xuxu! O Marcos metrosexual é quem eu acho que é? hahahahahaha Bju bju Luana

Lelê Maria disse...

abafa, amiga..abafa.